sábado, 12 de dezembro de 2015

#Euli Maze Runner - Ordem de extermínio


ATENÇÃO! ESTE TEXTO POSSUI SPOILERS DOS LIVROS ANTERIORES!


            Olá! Hoje vou trazer para vocês o último livro da saga, Maze Runner (que na verdade seria o primeiro). Demorei bastante um pouco mais de tempo do que o normal para acabar de lê-lo, não porque a história seja ruim (falarei sobre isso mais tarde), mas por ter ficado tanto tempo presa somente em Maze Runner, acabei enjoando um pouco de distopias e intercalei a leitura com livros de outros gêneros, que já estou quase terminando :D. Devo dizer uma coisa agora que li todos os livros é que todas as capas são realmente lindas, me apaixonei por essa e pela segunda. 
                Número de páginas: 381
                Ano: 2013
                Idioma: Português
                Editora: Vergara & Riba
                Preço na internet: Entre R$25,00 e R$42,90

Sobre o autor:
http://neo-hoenn.blogspot.com.br/2015/11/euli-maze-runner-correr-ou-morrer.html

Sobre o livro:
            Este livro, diferente do que vocês podem esperar, apesar de estar relacionado a trilogia não conta a história de Thomas ou dos clareanos, ele é como um spin-off que contará uma história extra que teoricamente seria uma "explicação" ao que ficou solto nos três livros principais. A história se passa cerca de 13 anos antes do início da história principal e aqui o personagem principal será o Mark.
           O livro começa um ano depois que a terra foi devastada pelas radiações solares, em uma montanha onde um grande grupo de pessoas vive em uma espécie de assentamento. Ali conhecemos o protagonista Mark, que creio eu ser um jovem de 19 ou 20 anos; Alec, um ex-militar; Trina, a "namorada" de Mark, Lana, uma ex-enfermeira do exército e outros jovens, chamados Darnell, Sombria e Sapo. O dia está começando de maneira normal, na medida do possível, a floresta aos poucos se recuperando da última catástrofe, quando tudo muda.
            Um berg de repente surge no céu ganhando a curiosidade das pessoas, mas o que se espera ser sinal de boas notícias era o início de uma tragédia. De dentro do Berg saem soldados armados com espécie de arma para lançar dardos, com o qual eles atingem grande parte dos moradores do assentamento, um dos atingidos é Darnell. Alec e Mark conseguem subir na nave graças ao primeiro e lá descobrem, ao observar as caixas, que os dados contém um vírus altamente perigoso. 
             Ao voltarem para o assentamento, alguns dias depois, o cenário está completamente diferente. O cheiro de podridão predomina no ar, há corpos em decomposição espalhados por toda parte e os sobreviventes aos ataques estão em casa, com medo demais para sair. Logo encontram seus amigos e Darnell, encontrando o rapaz ainda vivo, porém irreconhecível pelos ferimentos e pela loucura que havia afetado seu cérebro.
             A partir daí eles partem do acampamento procurando uma área segura, sempre evitando contato um com o outro, apesar de todos acreditarem já estarem infectados. Pouco a pouco a doença vai consumindo o cérebro do grupo e, quando ele encontram uma menina chamada Teresa Didi, que aparentemente era imune, seu novo objetivo se torna levá-la para um lugar seguro, para que a partir dela os cientistas possam desenvolver uma cura. Devo dizer que o final me deixou de coração apertado.
            O livro, na minha opinião, foi do nível do terceiro, apesar de a história dele ter sido um pouco desnecessária. Enquanto o lia, percebi que tinha altos e baixos, em uma parte estava muito bom e nas outras muito chato, semelhante ao que aconteceu no último livro. O mais interessante, foi perceber como a loucura penetrava no interior de Mark, apesar de eu achar que o autor poderia ter explorado mais essa parte e, ao mesmo tempo, acompanhar todo o processo em que a terra foi devastada através dos sonhos dele. 
           Um ponto negativo é que foi um pouco difícil me deixar envolver pelo protagonista que é um pouco sem sal. Teria sido uma história bem mais interessante se ela houvesse sido contada do ponto de vista de Trina ou Didi. Como no terceiro livro, esperei por algo mais que não veio. O melhor do livro foi o final, cerca de 40 páginas, que não posso contar o conteúdo por ser spoiler.
            É um livro interessante, pra mim valeu a pena ler porque tive curiosidade de saber mais sobre o fulgor, minhas dúvidas não foram esclarecidas, mas ainda assim foi bom acompanhar mais de perto os efeitos dele nas pessoas.

Nota: 3,5/5,0

Nenhum comentário:

Postar um comentário